Monitorando seu blog com Google Analytics

O Google Analytics é um serviço gratuito do Google, que monitora quase todo o tráfego que passa pelo seu site. É uma ferramenta imprescindível que todo blog ou site deve ter, e que todo proprietário deve saber usar. Não é à toa, portanto, que existem tantas formas de incluir o GA no seu blog. São dezenas de plugins, todos prometendo a mesma coisa, sem contar a miríade de temas que já fornece algum suporte para inserção do tracker do GA.

Em sua grande maioria, porém, essas soluções são incompletas ou simplesmente porcas. Muitas são simplesmente burras, com um campo para você colar o código que o GA mesmo gera, e ela só o insere no lugar (e nem sempre o lugar certo). Outras são mais espertas, e pedem apenas a chave de identificação (o famoso UA-XXXXXX), mas falham ao não oferecem mais opções de configuração. Afinal, o GA não gera o código definitivo e personalizado para seu site, mas apenas uma solução padrão, mínima. E nem vou comentar as soluções que não lidam com o Universal Analytics (algo como a última versão do GA).

Portanto, qual a melhor forma de garantir que o GA monitore seu tráfego? Continuar leitura

Melhorando a legibilidade de imagens no blog

Escrever para um blog é uma atividade um tanto pessoal, e cada um faz do seu jeito. Tem gente que senta e 5min depois tem uma página de texto que já pode publicar, e pronto. Tem gente que senta, e 2h depois chega no mesmo lugar que o primeiro, depois de pesquisar, revisar, reescrever, ilustrar e sabe-se lá mais o quê. Eu me encaixo nesse segundo grupo.

Como eu tendo a escrever conteúdos mais densos, muitas vezes me vejo obrigado a ilustrá-los, e quase sempre com algo específico, não aquelas imagens da Internet. São gráficos, prints de tela, coisas do tipo, que meu leitor eventualmente vai ter que olhar com atenção e calma. Para isso, eu imagino que quanto maior for a imagem, melhor pra o leitor. Mas você já deve saber que incluir imagens grandes no blog, além de pesá-lo, costuma afetar a apresentação também. Imagens grandes em geral ficam feias no texto.

Por isso, uma solução bem prática e eficiente é incluir uma imagem pequena, com uma insinuação do conteúdo, apenas o suficiente para que o leitor queira clicar em cima, e ao fazê-lo, abrir uma janelinha sobre o site com a versão detalhada da imagem. É possível fazer isso nativamente no WordPress, mas o resultado é tosco, porque a imagem grande abre numa nova aba ou janela (quando não por cima da página mesmo), quebrando a leitura e forçando o usuário a voltar. Continuar leitura

Reinstalando o Windows sem mídia e ativando legalmente

No último fim de semana meu amigo me entregou um notebook Dell Inspiron N4050 e pediu para eu ver o que estava acontecendo, já que ele não ligava nem a pau.

Primeira coisa que fiz foi ligar o note, óbvio, e solicitar um teste diagnóstico pré-boot, coisa que a Dell fornece em alguns modelos. O teste rodou por alguns minutos e não acusou nada demais (só alguma coisa com o drive óptico, mas deve ser porque não tinha disco lá, e também não me importei com isso). O hardware dizendo que estava tudo OK, fui ver a queixa propriamente dita. Liguei, apareceu o boot do Windows 10 (primeiro mau sinal), e em seguida, nada. A luzinha de disco acusou alguma atividade por uns minutos, imaginei que seria alguma atualização ou coisa do tipo… mas nada apareceria, mesmo quando parou.

A luzinha começou a brincar comigo: ela ficava parada, e se eu apertasse o botão Power ela piscava, uma vez para cada aperto… Ah! luzinha safada!

Como nada mais acontecia, parti para o Modo de Segurança. Sendo um notebook com HD tradicional, e não um Ultrabook SSD, eu ainda podia usar o Shift-F8 no boot, para ver as opções de recuperação do Windows. Entrei no Modo de Segurança básico e pareceu tudo OK. Mas também, não esperava nada diferente dele, já que minha suspeita era o driver de vídeo e no Modo de Segurança ele nem carrega.

Como meu amigo fez o favor de arrumar um Windows 10 Pro pirata em inglês e instalar por cima do original do Notebook (a etiquetinha dizia ser um Windows 7 Home Basic), inclusive matando as partições de recuperação, e ainda me disse que não tinha nenhum arquivo útil no disco, eu resolvi eliminar qualquer suspeita e resetar o Windows. Isso ele fez até bem, e fiquei com o Windows 10 Pro funcionando razoavelmente bem. Só que em inglês, um tanto lento, sem atualizações e com uma certeza de que dali a algum tempo ele iria perceber a ativação falsa e reclamar. Além disso, no site da Dell dizia que o N4050 não se dava muito bem com o Windows 10 (o que poderia explicar o problema no começo da história toda).

Então, tive a ideia de conseguir recuperar o Windows 7 original. Afinal, eu tinha a licença, o que poderia me impedir? Continuar leitura

Traduzindo seu Blog WordPress

Você já achou um blog bacana, rico em conteúdo, cheio de coisa interessante, na sua língua pátria e quando chegou no final da página leu coisas como “3 comments” ou “posted by Rodrigão on feb-11“. Se você for parecido comigo, deve ter achado isso ridículo…

Bom, em geral isso acontece por falta de conhecimento ou mesmo preguiça de quem criou o site. Nesse mundo globalizado, de acesso livre pela internet, e constante troca de informações entre pessoas de vários países, as chances são muito altas de que ao criar seu blog você use um pedaço de software escrito em outro idioma. Perfeitamente normal, o próprio WordPress é 100% escrito em Inglês.

O ruim acontece quando, por omissão ou preguiça, pequenos ajustes não são feitos. E quando esse pedaço de software não ajustado ocorre de ser um Tema WordPress, ou o plugin principal do seu blog, o resultado é seu usuário final vendo mensagens em outro idioma que não o mesmo do site.

Isso é ruim de várias formas! Primeiro, frusta o usuário que não fala aquele idioma (ou ao menos pode confundi-lo). Segundo, os buscadores enxergam essa palavras mal colocadas como falhas, e ninguém vai me convencer que esse não é um dos sinais de posicionamento (tudo bem que um bem fraquinho).

Mas então, como fazer para corrigir esse problema, sem encher o desenvolvedor de golpes mortais na cabeça?

Continuar leitura